06 julho 2007

lixo


Por vezes penso na quantidade de lixo que uma cidade destas dimensões produz! São impressionantes as pilhas de sacos pretos de plástico que se acumulam nas ruas secundárias para onde dãoas portas das cozinhas dos restaurantes. Sem exagero nenhum posso afirmar que chegam a ter a minha altura e percorrem todo o comprimento de um lote.
Mas os desperdícios são muito mais do que restos de restaurantes e cafés, a cultura consumista incutiu no comportamento da população deitar fora tudo o que já foi usado e esteja fora de moda, seja ela fashion ou qualquer outra, mesmo que sejam objectos em boas condições; uma camisa sem botão, uma toalha manchada de vinho, uma mesa com um parafuso a menos, um sofá ligeiramento encardido, uma impressora a preto e branco,um livro de capa rasgada, um carro de compras descolorado, uns tenis sem atacadores, umas portas de madeira de estilo antigo, umas prateleiras sem suportes…
Ainda assim, e talvez porque alguns têm a consciência do que significa a produção descontrolada destes desperdícios, há quem aproveite e em vez de deitar fora vende, uma banca na rua á porta de casa, umas mesas velhas cheias de traquitanas e nas ruas uns papeis que anunciam a “garage sell”.
Quem é que pensa nas quantidades de copos de plástico servidos todos os dias de manhã com o tipico café que vão imediatamente para o lixo? São 8.2 milhões de pessoas nesta cidade, imagine-se se metade beber pelo menos um café por dia, a quantidade de copos de plástico, resistente, bons para serem reusados, que vão para os caixotes das esquinas das ruas (quando não vão para o chão).

Os melhores recicladores da cidade são os “homeless”, apanham tudo o que podem, reciclam com a naturalidade de quem vê em qualquer objecto no lixo algo de útil. Transportam com eles tudo o que podem e ainda aproveitam para colectar todas as latas de refrigerantes de modo a trocarem-nas nos supermercados por alguns cêntimos, ninharias que para eles são um ordenado.

Mas o melhor deste lixo todo é a criatividae que gera, nada melhor do que uma Mollusk Surf Shop para o provar. O conceito deles é montar uma loja sem fazer uma única despesa em termos de mobiliário, e a prova está na foto a cima (ou vai estar, no proximo "post"). A todos estes criadores e amantes do nosso planeta um grande OBRIGADO, por cuidarem do nosso ambiente, reduzindo o lixo das ruas e aumentado os espaços fantásticos que nos fazem sentir bem.

6 comentários:

Claudette Guevara disse...

sabes, aqui em minha casa deixamos de ter um quarto-de-banho de serviço para termos um quarto-da-reciclagem. e digo-te, enchemos mais depressa as tres caixas que lá estão, do que propriamente o caixote do lixo na cozinha.
e assusta-me, saber que nem um terço das pessoas faz isso.

_as borras de café para as plantas, bem compo as beatas dos cigarros (e elas ficam fortes e lindas), p.ex.

_a roupa já fora de tudo entregue à empregada do prédio para dar às miudas pobres da aldeia.

_etc...

elisabete duarte disse...

as borras do cafe nao sabia...boa boa!
que mais? quem e' que sabe mais dicas para mudarmos os nossos habitos de reciclagem diarios?

Claudette Guevara disse...

ah! a minhas sobrinhas fazem carteirinhas de todo o género com os pacotes do leite e vendem às amigas e mães das amigas na escola. E realmente são giras!

E já agora (mas eu é que não posso fazer isso cá em casa) há sempre a hipótese da compostagem.

Claudette Guevara disse...

http://www.hortadaformiga.com/compostagem.cfm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Compostagem

carmen disse...

Há um cómico chamado Jim Gaffigan que conta esta: "I go to the grocery store to buy some plastic garbage bags. At the checkout counter, they put my box of plastic garbage bags into a plastic grocery bag. Then, when I get home, I open my box of garbage bags, take one out, and use it to throw away the plastic grocery bag I brought it home in. Isn't that weird?"

Weird? Não. Um horror! Perco a cabeça com tanto saco plastico pouco usado que se deita fora aquí. A minha dica mais simples: Levo um saco de pano para o mercado, e os sacos que aparecem em casa (porque são como as moscas e entram sempre) usam se para o lixo.

Agora uma dica com mais creatividade: A minha cozinha é completamente branca, com graça nenhuma. O namorado pensou por umas garrafitas vazias--cada uma pintada com cores diferentes--numa parteleira que corre quase o comprimento do quarto. Adicionou os umas luzes brancas (tipo que se põe na arvore do Natal) e quando as luzes estão acesas o brilho do vidro e das cores torna a cozinha muito mais alegre.

Claudette Guevara disse...

estava aqui a ler umas notícias e deperei-me com istpo, a propósito das borras de café:

Delta aposta na valorização energética e agrícola das "borras" de café
http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/CQNE3adZxL04qf6T6glDjA.html

;)