04 outubro 2006

a c o r r e r

image from web

Hoje entendi a diferença entre uma corrida de velocidade e uma maratona! Não, não me interpretem à letra. Entendi a diferença entre estes dois conceitos na nossa vida e em tudo o que a rodeia.Passo a explicar a ideia:Passamos a vida a correr, a correr para o trabalho, a correr para apanhar o comboio, a correr para ir para casa, a correr para cumprir objectivos profissionais, pessoais... a correr. Sem nos darmos conta perdemos qualidade de vida e a nossa alma fica pelo caminho, é que a vida é uma maratona a cumprir e não uma meta de velocidade. Uma maratona implica uma estratégia, organização e o cumprimento de várias etapas, visa atingir um determinado fim com sucesso e rapidez e não apenas velocidade.
Este texto, http://www.sobrevoando.net/2004/18-para-alem-das-nuvens/, explica bem essas ideia, ainda que esteja no contexto da arquitectura/território, é esclarecedor e ilustrativo daquilo que deveria ser um conceito geral para a nossa postura diária e conduta de vida.
Só tenho que agradecer ao Luís Vilhena, por me transmitir este conceito que há muito procurava sem o saber.

5 comentários:

ss disse...

nada como comecar o dia com umas palavras s'abias.
gostei.

Pedro disse...

É em verdade a corrida de velocidade tem que ser pensada no imediato, tem que ser feito muito rápido mesmo que falhe-mos a nível (técnico) as provas são tão rápidas que o sofrimento é pequeno a maratona não meus amigos o mais erro técnico o sofrimento é imenso e é capaz de ficares com cicatrizes para o resto da vida isto tudo a nível técnico e aplica-se a corrida a nível da vida em geral as consequenciais são exactamente idênticas, na maratona quem abusa de inicio paga sempre no final da prova (sofrimento) apliquem isto na vida em geral (já tenho experiência disso)  .

Um Grade Abraço Elisa e Bruno

Pedro


P.S. Ainda bem que já compreendeste a diferença de uma corrida de velocidade e a maratona pois a corrida de velocidade qualquer um a faz mas a maratona meus amigos num é qualquer bicho que a faz.

boleia disse...

ja conhecia a historia e ja aprendi com ela... e' sempre bom encontrar mais um esclarecido ;)
beijos

macaso disse...

Se te conhecesse na altura, mesmo que só de um modo virtual, tínhamos combinado um café por eses lados. estive em NY no princípio de Setembro e ainda estou de ressaca. Apaixonada, quero eu dizer. O destino ou um Deus internético, deu-me a conhecer a Joana, uma portuguesa maravilhosa que mora e trabalha na cidade que nunca dorme. Se tiveres curiosidade vai ao Georgeone, um restaurante onde um dos sócios é também Português, que ela trabalha lá.
Há uns posts atrás, no meu blog, fiz o filme de Nova Iorque. O meu filme, claro.
Cheguei agora até aqui por causa de outro fascínio: Tokyo.
Cada vez faz mais sentido não parar.

celia mestre disse...

Acho que este post funciona como uma excelente resposta ao teu postal. Compreendo perfeitamente o que queres dizer mas somos nós que delineamos, conscientemente ou não, a estratégia do nosso percurso.
Estou a ver que foste "apanhada" na rede do Luis e consequentemente do Rui, mas ainda te falta conhecer a terceira personagem "do grupo maravilha" que é o Vasco.
A eles e a ti, um beijo... carinhosamente com saudades.