24 janeiro 2007

e o dia acaba bem







Depois de um dia cansativo com umas horas a mais de atelier, a rotina continua. Encontro-me no metro a caminho de casa, como todos os dias, o metro vai cheio e a expressão de todos os rostos é a mesma… um cansaço misturado com o desejo de chegar a casa.


Entre muita gente um típico latino-americano, baixo, robusto de pele morena, segura na sua guitarra acústica e prepara-se para cantar… coloca a voz e … até me arrepiei!


A voz dele encheu a carruagem, deixaram de se ouvir os ruídos do metro já à superfície. Ao fundo viam-se as janelas cintilantes dos arranha-céus da cidade sob o fundo negro da noite ao som de uma balada em espanhol. Uma letra bonita, uma voz maravilhosa e, subitamente, a carruagem passou a ser palco e plateia... e veio o sorriso.


No fim, o rapaz ao meu lado chamou o artista, “Senhorrrr”, deu-lhe um dólar. Fiz o mesmo e agradeci-lhe pelo momento : “Mui bonito”!

2 comentários:

guevarette disse...

;)

Phantom disse...

Pena que nem todos olham com bons olhos para essas pessoas que de certa forma nos ajudam a passar o tempo de forma (às vezes) agradável.