05 setembro 2007

cresci a ouvir piano ao vivo

A minha amiga/mana Catarina toca piano desde os três anos e eu conheço-a desde que me lembro de existir.
Sempre estudei em casa dela, a fazer os trabalhos de casa, as cópias, as contas de somar e subtrair, estudei a tabuada (mas nunca a soube), enquanto a Catarina estudava piano.
Cheguei a assistir a algumas aulas na “Tia da música” na Torre da Marinha, a primeira professora dela. Hoje ela é uma pianista a valer e professora de piano.
O meu estudo acompanhado por piano de fundo ao vivo estendeu-se até ao dia em que resolvi ir estudar para Guimarães, depois tive que me contentar com a aparelhagem fanhosa e os cd’s das colectânea de música clássica.
Hoje, trabalho nesta cidade louca, num edifício de oito pisos a cair de podre. Ao fim do dia, quando desço as escadas a pé (o Donald deixa o serviço ás cinco da tarde, chega tarde e sai cedo!) mas dizia eu, que ao descer as escadas, lá por volta do quarto piso oiço um piano tocar, um futuro músico, ou música, estuda arduamente ao fim do dia. Gosto de para no patamar a ouvir, repetem-se as notas, depois o acorde, depois uma frase… e repete outra vez, e outra e mais outra.
Lá vou eu para casa com um sorriso e uma certa saudade, de Mozart, Debussy, Tchaikovsky, Beethoven, Bach e, claro, da Catarina.
Lembro-me também sempre da Palavra - Alada uma amiga de coragem que depois de adulta, uma arquitecta de sucesso, decidiu estudar piano e parece que tem sido muito bem sucedida, nunca é tarde para seguir um sonho e é mesmo preciso ter coragem!

4 comentários:

Faz de Conta disse...

Olá
Parabéns pelo blog... ao lê-lo consegui viajar até NY... quase senti o cheiro!
Tenho saudades, apetece-me ir!
Quem sabe...

Bjos :o)
Carla

carmen disse...

Hades até de agradecer ao Donald por deixar-te sem elevador!

Palavra Alada disse...

:)

Palavra Alada disse...

a parte do bem sucedida é que nao sei não, mas esforço-me! :)